Mobile é prioridade para o Google.

30-07-2015

Eye4tech IoT Internet of Things Beacon iBeacon Arduino

Com iniciativas voltadas para usuários e empresas, grupo direciona suas atenções para os dispositivos móveis, nos quais audiência cresceu 50% em seis meses.

Ser uma das maiores empresas de tecnologia do mundo traz algumas vantagens ao Google. Em relação aos desafios da inovação, no entanto, a marca é colocada lado a lado a qualquer outra companhia, já que precisa se atualizar e estar em um constante processo de aprendizado e análise do cliente para alcançar o sucesso. As ações de Marketing da gigante de buscas podem não parecer tão visíveis ao grande público, mas existem e estão alinhadas à criação de novos produtos e abertura de mercados, incluindo o Brasil.

As características e hábitos dos brasileiros vêm fazendo com que o grupo realize pesquisas cada vez mais profundas para saber o que oferecer e para estar inserido no cotidiano das pessoas. Tanto investimento e dedicação o tornaram a marca mais valiosa do mundo, avaliada em US$ 158,8 bilhões, segundo o ranking BrandZ 2014, elaborado pela Millward Brown Optimor. O consumidor final, entretanto, não é o único beneficiado pelas ações da americana – existem equipes focadas em ajudar empresas de todos os tamanhos.

Desta forma são desenhadas as iniciativas que envolvem, a todo momento, a satisfação do usuário. “Nosso Marketing é divido em três áreas e a primeira delas é focada em entender o contexto real do brasileiro para levarmos para o time global. A equipe internacional localiza os melhores serviços para esse público. Essa etapa é fundamental, pois orienta nossos negócios na região e otimiza os produtos para os meios certos”, conta Esteban Walther, Diretor de Marketing do Google para América Latina, em entrevista à TV Mundo do Marketing.

Ser relevante

Outra segmentação trabalhada pelo Google é tornar a marca e os serviços localmente relevantes, ou seja, incluí-los na rotina de cada indivíduo. Um exemplo foi a cobertura do carnaval da Bahia, com transmissão ao vivo pelo YouTube, e os projetos de ruas coloridas durante a Copa do Mundo. Mesmo as ações do Google Maps e Street View estão inseridas nessa estratégia, como digitalização de comunidades da Amazônia e de Fernando de Noronha.

Há ainda uma área que é responsável por criar e efetivar parcerias e projetos que ajudem a contribuir econômica e socialmente para o Brasil. “Temos lançado uma série de iniciativas, assim como funções e recursos para educação voltadas às crianças. Em 2014, premiamos quatro grandes projetos de tecnologia, além de ações voltadas à conectividade. Queremos deixar um legado e transmitir o que sabemos”, afirma Esteban.

As pessoas consomem, identificam-se e utilizam a tecnologia, enquanto os clientes corporativos querem absorver dados para continuar oferecendo mais novidades. “Olhamos muito as mudanças comportamentais, que estão ocorrendo muito rapidamente. Oferecemos essas pesquisas aos nossos clientes para ajudá-los em campanhas com anúncios e publicidade. Observamos, por exemplo, que o mobile é a grande mudança que está acontecendo no país e estamos de olho nisso. Tem muito usuário fazendo busca no Google pelo celular”, conta Esteban.

Foco no mobile

O aumento do uso de dispositivos móveis no Brasil é algo que vem surpreendendo o mercado. Em um intervalo de apenas seis meses, a audiência móvel cresceu 50% e, em resposta, as marcas aumentaram em 46% a adoção desse canal, de acordo com dados da segunda edição do Mobility Index, da Pontomobi. O acesso à internet por esses aparelhos foi identificado pela companhia de tecnologia e já está sendo foco de estudo sobre como trabalhar as maneiras de uso.

Isso porque a atenção é dividida com outras plataformas ou outros lugares, como lojas físicas. “Os usuários possuem várias necessidades e interrupções e interagem com celulares enquanto realizam outras tarefas. Muitas buscas são feitas nos locais em que eles estão pretendendo gastar. Em uma avaliação, observamos que, em média, os brasileiros olham 86 vezes o celular por dia. Não há como desprezar esse número, por isso focamos em produtos que sejam relevantes para ele”, conta o Diretor de Marketing do Google.

O lançamento e aprimoramento do Google Now é uma das soluções para esse perfil. O serviço é capaz de criar cartões com informações referentes às atividades realizadas por cada indivíduo na rede. Além disso, a ferramenta solicita alguns dados para aprimorar a entrega, como endereço de trabalho, times de futebol, sites que visita, entre outros. O objetivo é que o produto se torne um companheiro e possa oferecer alguma solução em qualquer momento do dia.

Ações para empresas

O objetivo principal do Google em relação às empresas que anunciam no site é justamente o mobile. O sucesso no meio móvel é um dos maiores esforços da companhia aqui no Brasil. “Nosso trabalho é explicar as oportunidades e isso inclui vários aspectos, como a definição da estratégia: será site ou aplicativo? Então, pensamos em como fazer para usar as telas pequenas da melhor forma possível. Estamos tentando mostrar as melhores práticas do mercado e, uma vez que isso esteja construído, como eles podem comunicar e maquinar as ações de uma forma melhor”, conta Esteban.

No dia 10 de junho, a gigante de tecnologia realizou um evento transmitido simultaneamente para sete mil pessoas de todo o país com foco em treinamento no campo digital. O filme apresentado contou com relatos de experts na área, que explicaram o ponto de vista deles sobre a transformação global. A iniciativa faz parte de uma série de outras que ocorrerão para levar mais conhecimento em mobile – foco da companhia para os próximos anos.

Mesmo as pequenas e médias empresas terão suporte nessa área e ainda um cuidado a mais em relação à realização de ações. “Uma das prioridades que temos com PMEs é fazer com que elas entendam os diversos produtos que oferecemos no Google Negócios. Estamos concentrando esforços para informar que essas ferramentas existem e que é possível ter um crescimento rápido dentro delas.

Por muitos não possuírem expertise em gestão digital, desenvolvemos uma plataforma que os ajuda a criarem uma network – o Google Partners, que possui agências em sua base cadastral. Pelo Google Finder, o próprio empresário pode buscar um fornecedor. Acreditamos que esse suporte é importante para elas abraçarem as ações digitais”, afirma o Diretor de Marketing.

Conteúdo e usuários

O Google também aparece como o proprietário de uma das redes sociais mais populares no mundo. O YouTube hoje concentra boa parte dos acessos da web, o que faz com que a companhia crie cada vez mais incentivos para fomentar a publicação de conteúdo no canal. Os produtos específicos para a plataforma de vídeos incluem uma ajuda para que os usuários gerem novidades interessantes para engajar outras pessoas.

Além disso, o Google Plus – mesmo não tendo a visibilidade que outros sites possuem, como o Facebook ou Twitter – continua sendo importante para a gigante americana. “Essa ferramenta nos ajuda a entender as mudanças no lado social dos internautas. Continuamos investindo no Google+, criamos o Connections, que aproxima o usuário de suas paixões, e lançamos o Google Fotos, que era uma parte complementar, para entregar uma experiência maior aos amantes da fotografia”, conta Esteban.

Cada um desses serviços tendem a estar integrados às outras áreas, oferecendo todas as informações em uma só página, como um assistente. “Hoje já fazemos atualizações de trânsito em tempo real e criamos alertas de voos quando a pessoa vai viajar. Ela compra a passagem e nós avisamos com antecedência se as vias estão engarrafadas até o aeroporto, por exemplo. Isso é só uma parte do que já existe. No futuro próximo, faremos muito mais. Faremos algo maior, capaz de conversar como uma pessoa. O machine learning melhorará muito, ainda estamos na infância”, finaliza o Diretor de Marketing.

Fonte: Mundo do Marketing